6 de abril de 2015

Caminhos das Índias



Dobrando o mundo: a terra e os mares...

Empreendimento organizado de descobrimento a longo prazo, o feito dos portugueses foi mais moderno, mais revolucionário, do que as mais largamente celebradas proezas de Colombo. É que Colombo seguiu um rumo sugerido por fontes antigas e medievais, a melhor informação do seu tempo, e se tivesse alcançado o seu propósito confessado tê-las-ia confirmado. Não havia no seu espírito nenhuma incerteza, quer a respeito da passagem na rota para a Ásia, quer a respeito da direção a seguir. Só o mar era desconhecido. A coragem de Colombo consistiu em meter por uma passagem marítima direta para terras «conhecidas» numa direção conhecida, mas sem saber precisamente qual seria a extensão da passagem.

Pelo contrário, as viagens dos portugueses à volta da África e, esperava-se, para a Índia baseavam-se em ideias especulativas arriscadas, em boatos e sugestões. Teriam de ser contornadas terras desconhecidas, utilizadas como escalas de aprovisionamento de alimentos e água em viagem. Esta seguiria para lugares onde a geografia cristã ameaçava com perigos mortais, lugares muito abaixo do equador. Por isso, os descobrimentos portugueses exigiram um programa nacional progressivo, sistemático, passo a passo, para se ir avançando através do desconhecido.

O planeamento a longo prazo só foi possível porque os portugueses tinham empreendido uma aventura nacional com espírito de colaboração.
Daniel J. Boorstin, Os descobridores (1983)

2 comentários:

  1. Pontos de vista, na verdade. O próprio autor diz que "só o mar era desconhecido", o que demonstra a coragem de Colombo em enfrentar o desconhecido. Acho admirável que ele tenha estudado todas as fontes conhecidas, tentando realizar um sonho que o fazia mover montanhas.

    ResponderEliminar
  2. O casamento perfeito entre os conhecimentos náuticos colhidos em Portugal pelo navegador genovês ao serviço de Castela e as tradições europeias vindas das mais diversas proveniências. Ironia histórica surpreendente mesmo nos nossos dias o de a descoberta ocasional dum continente ter granjeado uma fama muito duradoura a Colombo do que a criteriosamente planeada da descoberta da verdadeira rota marítima da Índia concretizada por Vasco da Gama. A imaginação empreendedora continua a dar cartas à objetividade científica.

    ResponderEliminar