10 de julho de 2017

A punição divina da água...

FOUR ELEMENTS, SEASONS AND ZODIAC

Miniature from a english medieval manuscript (Séc. XI)

O segundo elemento...

Afirmam os mitos etiológicos dos grandes sistemas religiosos ter o homem sido criado pela vontade divina de converter estátuas de argila em seres vivos e cientes da sua própria existência. O processo ter-se-á efetuado pela mistura bem dosada dos quatro elementos primordiais: terra, água, ar e fogo. Esta a convicção ameríndia tupi-guarani, africana nagô-ioruba, mesopotâmica assírio-babilónica ou bíblica judaico-cristã.

A relação entre mortais e imortais nem sempre se mostrou pacífica. O Deus do Génesis fartou-se da iniquidade humana e derramou sobre a terra toda a água que cabia num dilúvio universal. Só se salvou quem coube na Arca de Noé: patriarca e família, animais e plantas atuais. A história hebraica seria o eco distante duma outra suméria mais antiga protagonizada por Atrahasis, o supersábio da Epopeia de Gilgamesh.

Corre na Net um vídeo promocional a alertar para a chegada eminente dum tsunami que engolirá toda a Península Ibérica. A vinda é certa. Só não se sabe a data. Dá pelo nome de La gran ola | A grande onda, foi realizado por Fernando Arroyo e alerta para os perigos que a conjugação explosiva dos fenómenos naturais com a ação do homem na prospeção de hidrocarbonetos nas costas de Portugal e Espanha.

O alerta está lançado. Amarelo, laranja, vermelho roxo. De todas as cores. Em tempo de seca severa e no rescaldo dos incêndios, só mesmo a profecia científica dum maremoto apocalíptico. Punitivo. Depois do castigo divino do fogo a punição divina da água. Eucaliptos e petróleo convertidos em bodes expiatórios de todas as catástrofes. Algo de errado haverá nesses seres de barro moldados à imagem e semelhança dos deuses.

2 comentários:

  1. O que tiver que acontecer, acontecerá. Também um grande terramoto está para acontecer há muito. Pensemos noutras coisas e sigamos em frente.

    ResponderEliminar
  2. Fenómenos que a natureza nos oferece de forma gratuita quando se trata de fenómenos inevitáveis, como é o caso de um tsunami que é consequência da movimentação de placas tectónicas... Viva-se um dia de cada vez sem cogitar em profecias de cariz religioso!

    ResponderEliminar